domingo, 13 de março de 2011

[RELATO] Longão: de Pirituba à Água Branca

Olá amigos, cismei que neste domingo (13.03.11) faria um treino longo com direito a novo percurso. Não queria ficar dando voltas repetidas ou mesmo ir a lugares em que já tivesse treinado. Estava com a clara intenção de inovar e acabei tendo a idéia de sair de casa (bairro de Pirituba) com destino ao Parque da Água Branca (cujo bairro leva o mesmo nome). Até agora não sei a distância exata, mas acredito que deva ser de aproximadamente 10 ou 11Km.

Avenida do Anastácio

Vista do Complexo Anhanguera

Saí de casa por volta das 06h50, o dia estava nublado, sem chuvas, temperatura razoável, estava fresco, pois havia garoado a madrugada inteira. Coloquei shorts, camiseta e portei a minha cinta de hidratação. Consegui carregar a câmera fotográfica, para ir fotografando pelo caminho. Não tive sorte com o composto líquido de carboidrato, aquele fornecido antes e depois da Meia Maratona de SP (27.02.11); não gostei e, depois de um tempo correndo e “balançando” na cintura, o composto ficou parecendo “ENO”, de tanto que borbulhou (mas isso fui só constatar no final do treino).

Passarela

Rio Tietê: detalhe o reflexo do céu no poluído rio...

As ruas estavam muito tranquilas, com pouco tráfego, o que possibilitou um treino sem grandes preocupações. Cruzei a ponte “Atílio Fontana”, mais conhecido como “Ponte Anhanguera”, que faz parte da recente obra intitulada “Complexo Anhanguera”. Já estava bem próximo do bairro da Lapa, passei pela famosa “Rua Barão de Jundiai”, ao final dela inicia a extensa “Rua Clélia” onde a calmaria reinava naquele momento. Em poucos minutos já estava no bairro da Pompéia, onde pude cruzar a avenida de mesmo nome para alcançar a “Avenida Francisco Matarazzo”, local onde se encontrava o Parque de Água Branca. Após passar por baixo do Viaduto Antarctica, com 1h09 marcando no cronômetro, cheguei finalmente ao agradável parque.

Rua Clélia

Rua Clélia: deserta no domingo pela manhã

Fazia muitos anos que não entrava nele, confesso que fiquei meio perdido no início, havia dezenas de pessoas, de todas as idades, caminhando, correndo, se alongando. Percorri duas voltas internamente, até iniciar o trajeto de volta. Sem muitos segredos, fiz o mesmo percurso da ida (apesar de gostar de percurso misto), mas por ser um trajeto novo para mim, aquilo não era empecilho. O repertório de músicas foi diversificado, porém, coloquei várias músicas da Bonnie Tyler, variando com Neil Young e Bon Jovi.

Chegando no Parque da Água Branca

Já no interior do Parque

O outono é uma estação curiosa, pois quando penso que o dia vai “abrir”, onde as nuvens começam a dar espaço ao céu azul, de repente, o tempo “fecha” novamente e aí fica aquele tempo “amarrado”, não sabemos se será ensolarado ou mesmo se haverá pancadas de chuva. Enquanto os céus não decidem isso, eu continuei o meu percurso de volta sem grandes problemas, apesar do cansaço, afinal, o corpo sente o desgaste natural, visto que esse foi o primeiro treino de grande volume que fiz em 2011.

Já no caminho de volta: vista do Completo Anhanguera sob outro ângulo

Finalizei o treino em 2h30min, acredito que cheguei bem próximo aos 24 ou 25Km, nunca poderei ter certeza, me baseio no meu ritmo e no tempo percorrido, visto que fiz o trajeto sem intervalos, ininterruptamente. Realmente valeu a pena acordar neste domingo e realizar esse treino ao qual me propus. Abdiquei de participar dos 12Km da Abertura do Circuito Corpore, na Cidade Universitária, pois é imprescindível que utilizemos um dia na semana para esse tipo de treino. Venho participando de muitos eventos na atual temporada e com isso, rodando distâncias menores.

Caminho para a passarela de pedrestres

Após o treino, passei o restante do domingo em casa e assisti dois filmes que recomendo: “O Aprendiz” (1998), que trata sobre um adolescente interessado pela história do nazismo e acaba descobrindo que em seu bairro vive um idoso que fez parte da alta cúpula de Hitler e daí passa a acontecer um jogo psicológico entre os dois. O outro filme chama-se “O exorcismo de Emily Rose” (2005), baseado em fatos reais, onde uma menina sofre por problemas espirituais e após o insucesso da medicina, os pais confiam a solução do caso a um padre, porém, a menina acaba morrendo durante o exorcismo e aí se estende uma intensa batalha no tribunal que discute a procedência da atitude do padre, se deve ou não ser condenado.

Informações para aqueles que quiserem conhecer o Parque da Água Branca:

http://www.parqueaguabranca.sp.gov.br/

Até a próxima!

5 comentários:

  1. ótimo longao.Parabens

    ResponderExcluir
  2. Que pique! Muito bem! E eu corri meus 50 minutos entre 2 caminhada e 8 corrida. rs. Quanto aos filmes, já assisti esse do exorcismo. Achei muito bom porque não é só aquele terror, envolve um mistério, um julgamento, é bem interessante!

    Karen Augusto
    diariodecorrida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. oi, daniel!!!

    um treino muito legal!
    é muito bom inovar nos percursos, dá um sabor de aventura aos longões!
    achei lindo aquele casarão da primeira foto!

    parabéns pelo treino!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Aaaaai, que invejinha! Rsrsrs. É a segunda vez que escrevo isto hoje, nos comentários! Kkkk. Eu não participei dos 12 K Corpore, nem treinei! Rsrsrs. estava trabalhando! Kkk. Parabéns pelo treino!

    ResponderExcluir
  5. Dani,
    Admiro sua disciplina...invejinha.
    Adoro o parque da água branca, morei 20 anos na Pompéia e fiz muitos pic niks com minhas tias e primas, e recentemente fiz um com alguns amigos para comemorarmos a minha recuperação do transplante...delícia!
    O parque é bem simpático.
    Beijinhos e continue correndo muito por aí.

    ResponderExcluir