segunda-feira, 17 de abril de 2017

O desafio do retorno


Tantas coisas aconteceram desde o dia 29 de outubro de 2016 que a maior dúvida de todas as dúvidas é saber por onde começar ou reiniciar. Quando corri a Star Wars Run, na data acima citada, mal podia pensar ou esperar que seria a última corrida pelos cinco meses seguintes. Corri com dor aqueles agradáveis 7Km, dor física, de uma espécie de “ite”, melhor definida nos exames como canelite, excesso de repetição que causou estresse nos tendões da perna (direita). Qual a solução? Atividades de pouco impacto e fortalecimento muscular moderado. Arrisquei uma hidroginástica, que acabou revelando-se um grande erro, pois o impacto submerso aumentou o estrago. O que aquele distante-recente outubro tem em comum e oposto com os dias atuais? As férias! Estava também em recesso naqueles dias, mas com a grande e principal diferença: lá eu me encontrava com dor, hoje eu não estou, posso dizer que a minha recuperação demorou, mas aconteceu.

29/10/16 - sorriso apenas para foto - última corrida
Fiz tantas coisas nessa pausa esportiva, engordei, comi pra caramba, fui à baladas (atualmente conhecida como “pubs”), conheci pessoas, li alguns livros, retomei minha paixão material por Cds japoneses, retornei ao Twitter, enfim, respirei vida de outras formas. Coloquei em mente que o retorno não poderia ser precipitado ou envolto à impulsão, pois o resultado de coisas impensadas não são os melhores. A passos de tartaruga fui marchando em direção à academia, constatei o quanto é penoso a retomada da disciplina (experimente ficar três dias seguidos sem ir, por exemplo, para entender o que estou falando), o meu corpo de 32 anos encontrou resistência em assimilar que sem o apoio do fortalecimento não seria possível fazer outras atividades com razoável performance. Comprei um pote de “Whey Protein” para estimular minhas células a aceitar a aquisição de massa magra, o que tem proporcionado um efeito positivo.

Paixão: CDs dos seriados japoneses - Changeman (1985)
Aos poucos contarei a vocês o acumulado de minha vida nesses meses de “silêncio” ativo, pois acredito que transmitir experiências é a melhor forma de interação e aprendizado. Vocês conhecerão a minha faceta voltada para os seriados japoneses, cuja paixão nunca se apagou, ao contrário, a nostalgia é cada vez mais prazerosa. Nem preciso, melhor dizendo, preciso dizer o quanto estou feliz pelo retorno do Guns N’ Roses, minha banda de rock favorita em qualquer constelação que ela toque. Outra experiência muito bacana foi assistir a Corrida de São Silvestre de cima, literalmente, após receber um irrecusável convite para um café da manhã promovido pelos idealizadores do evento no prédio da Fundação Cásper Líbero. Confesso que fiquei numa vontade enorme de correr, mas poupei os pensamentos ousados. É impressionante o impacto que damos às nossas vidas do momento em que acordamos até o instante que nos recolocamos na cama para recarregar as energias.

Cycle On Top 
Sobre a corrida do dia 09 de abril de 2017, mais uma vez tive a oportunidade de participar de um evento que sempre compôs o meu calendário esportivo: Maratona Internacional de São Paulo. Mas não foi nos 42km, tampouco nos 24Km, muita carga emocional e física para alguém que está aprendendo a engatinhar novamente. Estar inscrito nos 8Km me deixou com uma alegria de dimensões inexplicáveis, pois entre o não correr e o poder minimamente correr, certamente a última mexeu muito comigo. Retirei o kit três dias antes, tamanha era a ansiedade de estar novamente em contato com o “cheiro” da corrida, no Ginásio Mauro Pinheiro, localizado no Ibirapuera. Antes disso, duas semanas antes, participei de um evento na academia, denominado “Cycle On Top”, uma aula de bike no heliponto do Continenal Square Faria Lima, onde situa-se a academia Reebok Sports Club – Vila Olímpia.

Kit da Maratona de São Paulo
A largada ocorreu às 07h30min, pontual, com os corredores de todas as distâncias agrupados, sem qualquer chance de desvencilhamento. Foi por volta do terceiro quilômetro que consegui impor meu ritmo, nada muito acima do que vinha correndo até então. Não senti dores ao longo do percurso, apenas um cansaço natural, aquele que lembra corpo enferrujado (se é que o corpo humano pode ficar nesse estado) pelos tantos meses sem pisar em um evento oficial. Nada preocupante, corri entretido com músicas e com o suporte de um tênis excepcional: Adidas UltraBoost, que mais parecia um pisar sobre almofadas macias. Diversos fotógrafos espalhados pelo curto trecho em que estive, quatro quilômetros para ir e igual trecho de retorno, já que as distâncias maiores seguiriam muito mais adiante. Com 45 minutos e 25 segundos, cruzei a linha de chegada oficialmente dos 8,047Km.

5 meses depois

Fui para casa com o sorriso de orelha a orelha, mas com o compromisso de manter, mais do que nunca, fiel aos treinos na academia, para que fraqueza muscular e eventuais contusões não encontrem respaldo favorável em meu corpo nos dias que virão. Próxima parada já tem data: Rolling Stones Music Run, no dia 13/05/17, prova que eu deixei de participar no ano passado, com inscrição feita e tudo, por conta da contusão. 


Medalha - saudades de fotos assim (minhas!)

Bola pra frente, que agora a porteira está aberta e o bode está solto outra vez!

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Track&Field Shopping Eldorado


Um evento que dispensa comentários, porém, faço questão de relatar a minha participação como forma de agradecimento pela qualidade oferecida. Estou rasgando elogios? Sim, quando pagamos por um serviço e somos bem atendidos, a tendência natural é que retornemos mais vezes. Digo isso porque um mês antes eu estava inscrito na edição do Shopping Villa-Lobos, que é a pioneira das “Run Series”. Dessa vez o desafio foi saber como o Shopping Eldorado se comportaria, pois pela primeira vez os organizadores chancelariam uma prova de 21Km.

Percurso plano
Fui negligente com a feitura da minha inscrição, já que naveguei pelo site da prova durante todo o mês de setembro e meados de outubro, cujas inscrições estavam abertas. Não pensei haver riscos de perder lugar nessa prova, visto que existem tantas etapas pelo Brasil afora, que em nenhum momento acreditei que penaria para garantir minha vaga. Fato é que no dia 14 de outubro fui realizar a minha inscrição e levei um “soco no estômago” quando vi o status de “Encerradas”. Enviei e-mail à Latin Sports, organizadora do evento, sem sucesso naquele momento, pois realmente o limite técnico de vagas havia sido atingido.

De início, a minha intenção era correr os 21K, por tratar-se de uma distância inédita no circuito, despertando muita curiosidade. Os dias foram passando e o horizonte cada vez menos promissor em conseguir uma inscrição. Marcada para o dia 23 de outubro de 2016, enfim, uma luz no fim do túnel: recebi um e-mail da Latin Sports no dia 18 de outubro informando a abertura de algumas vagas remanescentes, não pensei duas vezes e tão logo acessei o site. Não havia vagas para os 21K, somente para as distâncias de 10 e 5K, respectivamente. Não titubeei e me inscrevi nos 10K, já que o objetivo ali era "sobrevivência", ou seja, não queria ficar de fora de jeito algum.

Kit básico
A inscrição custou R$ 140,00 (Kit Básico), com um vale-desconto que possuía, esse valor acabou ficando em R$ 126,00. Retirei o kit no sábado, na pequenina loja Track&Field Eldorado, apesar de não ter pegado fila queria ter olhado melhor os produtos da loja, infelizmente não sendo possível (local realmente muito pequeno). O Kit trouxe uma camiseta na cor num tom lilás escuro (existe essa definição?!), um par de meias tecido tecnológico, um voucher para um aperitivo de comida japonesa, um voucher para uma cerveja Skol Ultra (retirada no dia da prova), uma barrinha de cereal, uma amostra grátis em formato adesivo de Dorflex, um cartão de desconto Sephora (loja de cosméticos), um voucher de 15% de desconto na Loja Track&Field, chip descartável, número de peito e alfinetes.

Arena sendo montada
Chega de conversa, vamos falar de corrida! O domingo amanheceu nublado, ainda mais por estarmos no horário de verão, com a largada prevista para às 7h, verdade é que correríamos às 06h00. O Shopping Eldorado está localizado na Marginal Pinheiros, com a estação de trem “Hebraica-Rebouças” oferecendo a melhor opção para quem foi de transporte público. Cheguei bem cedo, por volta das 06h15, já havia um bom número de atletas espalhados pela arena do evento (estacionamento do shopping). Estava semi-trocado, bastando apenas prender o número de peito, chip de cronometragem e colocar as minhas coisas no guarda-volumes (tranquilo, sem filas).

A pista "local" foi parcialmente bloqueada para os atletas atravessarem
A largada, na via expressa da Marginal Pinheiros, foi simultânea e pontual para todas as distâncias, fiz a escolha de correr de calças, por ser apenas 10Km, não senti nenhum incômodo. Nos três primeiros quilômetros detectei uma dor estranha na altura da canela direita, uma espécie de câimbra, me deixando inquieto. Era como se a musculatura não tivesse aquecida, o mesmo pode-se dizer da perna esquerda, porém, essa com um teor apenas de fadiga. O percurso seguiu em direção à Ponte Transamérica, sendo que seria uma perna de 5K e retorno pelo mesmo caminho da ida. Não me pergunte como se deu para os 21Km, sei que eles prosseguiram até não sei onde.

Minutos antes da largada
Havia muitos fotógrafos pelo caminho, como vocês poderão conferir em duas fotos que ilustram este relato. O serviço de hidratação foi ótimo, peguei água em todos os pontos oferecidos. Muitos dizem que correr na marginal é monótono, pois não tem alteração de horizonte, no entanto, como fazia tempo que eu não corria nesse local, não percebi a morosidade e curti cada momento. Além do mais, estava escutando minhas músicas (setlist escolhido foi do Akira Kushida e do Hironobu Kageyama, não vou tentar explicar quem são eles, só sei que adoro tais músicas, japonesas, parte importante da minha infância – risos).

Durante a prova
Terminei a prova com o tempo de 49:15, distante em mais de três minutos da TF Villa-Lobos, mas contente por ter levado mais uma medalha para casa. Além dela, copo aberto de Gatorade, banana e maçã a livre escolha, um sachê de uma batida de frutas, além é claro da latinha de Skol Ultra. Havia o serviço de massagem, gratuito, mas declinei da ideia. Assim que cheguei em casa, percebi que a dor na canela era muito semelhante à canelite (comum em atletas), iniciei várias sessões de gelo na região, a fim de atenuar o problema e poder ter condições de participar do desafio seguinte: Star Wars Run (7K), no dia 29/10/16.


Medalha
__________________________________________

Informações importantes:

Nome do evento: Track&Field Shopping Eldorado
Data: 23/10/16
Distâncias: 21K, 10K e 5K.
Valor da Inscrição: R$ 140,00 (10K e 5K), R$ 160,00 (21K)
Local: Marginal Pinheiros – em frente a estação da CPTM "Hebraica-Rebouças”
Organização: Latin Sports